sábado, 8 de janeiro de 2011

Meu mundo é do tamanho do meu universo!

Tenho vivido momentos de muita angustia.
As vezes me sinto perdido, porém a sensação de estar em casa é tão absurdamente reconfortante que me pergunto: Como agir diante desse sentimento contraditorio.

Sei que a vida é feita de escolhas. Muitas vezes essas escolhas não são fáceis. ou será que as complicamos demais por que estamos presos num circulo vicioso de valores que em determinado ponto da vida deveriam ser reavaliados e perdemos esse momento crucial para a nossa evolução?
Sim! Acredito que enquanto Ser Humano, somos dotado de uma capacidade divina que nos permite evoluir a cada fase da vida ou a cada obstáculo que aparece a nossa frente. O universo é bem maior que possamos imaginar, não somente pela sua extensão "territorial" mais por conta dos seus significados que vão além desse mundo físico. Acredito que esse universo regido por Luz e Trevas tem muito mais a nos ensinar do que simples explosões de gás hélio criando supernovas no vácuo. Há algo maior por detras de cada estrela, de cada planeta. Somos parte dessa poeira cósmica e não deveríamos desprezar isso. Escolher qual lado devemos seguir tem sido a luta diária do Homem.
Sejamos a poeira cósmica de um ampola temporal que tem seu momento certo de revirar-se e continuar seu ciclo eterno, mesmo que as areias ali contidas sejam as mesmas o momento, o tempo é outro, o recomeço inevitável e esse contínuo cair nos revela que de tempo em tempos é necessário esvaziar nosso recepiente e voltar a enche-lo dessa vez contando uma outra história. 

Mas como contar essas histórias? Caberá ao tempo dar as respostas? Esperar que o momento passe é muito simples e cômodo. Quando se esvazia o recepiente é o período exato pra refletir sobre tudo aquilo que já foi despejado no tempo onde ficará escrito para sempre cada momento.

A felicidade não se encontra em poções ou numa caderneta de fim de ano que vem acompanhada de mensagens zodiacais. Ela se encontra no momento que o recepiente volta  a se encher de areia, não aquela areia de antes, mas uma nova história contada a partir dos grãos que cai.

Li certa vez uma história sobre dois lobos e gostaria de registrar aki.

"UMA NOITE, UM VELHO ÍNDIO CONTOU AO NETO DELE SOBRE UMA BATALHA QUE ACONTECE DENTRO DAS PESSOAS.

ELE DISSE: - MEU QUERIDO, HÁ UMA BATALHA ENTRE DOIS LOBOS DENTRO DE TODOS NÓS:


UM É MAU:  

É A RAIVA, A INVEJA, O CIÚME, A TRISTEZA, O DESGOSTO, A COBIÇA, A ARROGÂNCIA, A PENA DE SI MESMO, A CULPA, O RESSENTIMENTO, A INFERIORIDADE, AS MENTIRAS, O ORGULHO FALSO, A SUPERIORIDADE E O EGO..


O OUTRO É BOM: 

  É A ALEGRIA, A PAZ, A ESPERANÇA, A SERENIDADE, A HUMILDADE, A BONDADE, A BENEVOLÊNCIA, A EMPATIA, A GENEROSIDADE, A VERDADE, A COMPAIXÃO E A FÉ.


O NETO PENSOU NAQUILO POR ALGUNS MINUTOS E PERGUNTOU:


- QUAL O LOBO QUE VENCE?


E O VELHO ÍNDIO SIMPLESMENTE RESPONDEU:


- O QUE VOCÊ ALIMENTA."
E QUAL O LOBO QUE VC PREFERE ALIMENTAR?

2 comentários:

Edson Marques disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Claudio Poeta disse...

Muito bonito! - Parabéns, amigo! - Abração