domingo, 18 de fevereiro de 2018

Apenas eu

Quando pensei que sabia amar
Descubro que nem isso sei.
A vida me tirou tudo
De tudo que acreditei

Ao longo do caminho sempre me disseram que eu não era bom pra nada.
Busquei traçar meu caminho acreditando que não era verdade.
Até você aparecer e mostrar que eu era diferente.

Tudo que antes me assombrava se tornou neblinas.
Lembranças em forma de fumaça que se esvai no tempo.
O sonho, o delírio, a euforia de ser quem eu não era.

Mas com o tempo não se pode lutar
E você me mostrou que mesmo no amor
Eu nunca soube amar.
Tudo que tentei enfim em vão

Volto ao passado vejo que muitos tinham razão.
Hoje, triste em perceber que onde eu tinha paz
Já não posso descansar.

A paz que eu tinha era uma ilusão
Diante de mim mesmo, surpreso
Vejo apenas, no reflexo, um borrão.
Não sou nada. Não sou ninguém.
Apenas eu, eu...eu quem?

sábado, 6 de janeiro de 2018

Sentimento só

Não compreendo o amor
A troca, o olhar, a flor.
Não compreendo a flor
Que mesmo em dias nublados
Se abre, perfuma, demonstra seu esplendor.

Não compreendo o perdão
O joelho, a voz, o coração.
Não compreendo o coração
Sua dor imaginável, dilacera a alma
Numa calma, numa calma.

Não compreendo o querer
O olhar, a vontade, o viver.
O caminho a frente, inexistente
A presença de um, a ausência de vida.

Não compreendo o viver
Está só, ter você.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

T.A.M

Não sei falar coisas bonitas
Nem versos que definam meu amor
Não sei parafrasear as emoções
Porque tudo que tenho em mim é maior.

Não tenho o sorriso mais bonito
Nem esperteza no olhar
Não sei contar piadas que te façam rir
Porque tudo que tenho em mim é sonho.

Não andei por lugares diversos
Nem cantei canções de amor pra você
Não fiz serenatas em sua janela
Porque tudo que tenho são palavras de amor a te oferecer.

Não vi os altos montes
Nem andei nos trens de Paris
Não reguei flores no teu jardim
Porque tudo que tenho é pouco para ti.

Nessa vida tão distante de tudo que não vivi
Por todos os lugares que não estive
De todas as palavras que não ouvi
Trago cá no peito o seu sorriso.
Seu olhar de amor eterno
Sua voz ao meu ouvido
Seu calor a me aquecer a alma.

Sou só um menino a espera do abraço perdido
Do afago que acalma
Da presença que me sustenta
Do amor que eleva o espírito.

Não há vista dos montes que seja mais bela que o brilho do seu olhar.
Nem serenatas cantada pelo mais sublime cantor
Que seja tocada com tanto amor
Quando ouço a sua voz a ecoar em minh'alma.

És o mundo que quero estar.
Seus caminhos contigo compartilhar.
Seguro de estar ao seu lado
Quando todo o resto nos faltar.

Teu
Amor
Meu

terça-feira, 22 de agosto de 2017

ABRAÇA-ME


Estou sempre a olhar na tua direção
em busca de um caminho a seguir
tento alcançar tua mão
para sozinho, não me perder.

Sigo ao teu lado como se você fosse eu mesmo
um tanto de mim, preenchido pelo seu olhar.
Elevo minhas mão tentando te alcançar
Tetando te alcançar.

Já fui um pouco de tudo nessa vida
Só você conseguiu me compilar
Fez que eu me encontrasse
Nessa história sem medidas.

Vivo em busca do seu olhar
Do seu sorriso que acalma
Quando demonstra ao meu lado estar
Mesmo diante daquilo que me amedronta.

Tento alcançar tua mão.
Tão pequenino que sou.
Me equilibrando em sua direção
na distancia que em nós brotou.

Elevo meu olhar ao céu
em busca do brilho que um dia me dirigiu
seus olhos com tanta doçura
fez de mim um homem servil.

Estar ao seu lado me eleva as virtudes
me tornas um homem melhor
A espera do nosso enlace
o que ficou guardado na lembrança
volto o olhar para o céu e penso
Abraça-me.

sábado, 19 de agosto de 2017

Codinome Jazigo

O que sente a criança no abandono?
O cão largado no acostamento?
O mendigo esquecido
Em um mundo cheio de sofrimento?

Viver, para muitos é um desafio constante
Para alguns existir é o suficiente
Passando por tantos corpos no dia a dia
Como se mortos tivessem 

Não enxergamos o que tem por dentro
a casca que habita o ser
diz com a boca o que o coração não sente
esperança morta vagueia 

Em busca de uma gota  que sacie sua fome
mendiga a vida, apesar do que se come
Vivem os fantasmas que passeiam pelas calçadas
cegos, vislumbram apenas o passado

Jaz na pedra de mámore
a lápide que em vida sustentou
desviando daquilo que plantou
fingindo a todos enganar com maestria
sofre o ser, sem contar o que sentia



domingo, 13 de agosto de 2017

Reverso

Vivo mergulhado em Mil sonhos
Cada parte desconexa
Cada lado me leva para fora
Me trazendo para dentro de ti, de mim, de nós.

Sou um que não sabe ser dois.
Me sustento em ser você antes de mim
Meu alento
saber que estás a minha espera
Me resgatando, me curando, me mantendo de pé.

A livre sensação de ser livre
Uma liberdade que me acorrenta
Faz sangrar o que eu sinto
Um desejo que não alimenta.
Destrói tudo pelo caminho
Mesmo quando o retenho dentro de mim.

Um livro esquecido na estante
Uma música perdida no tempo
Uma carta escrita na lembrança
Um verso.
Apenas.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Mo

Dentre todas as necessidades da vida.
De tudo que o que mais preciso é seu sorriso.
Seu olhar que me traz paz.
E o calor dos seus braços em volta do meu corpo.

Da leveza dos sussurros da sua voz ao meu ouvido.
Do ar quente da sua respiração que me inebria
E me faz perder os sentidos.
Me levando para o mais longínquo de mim.

Da sensação de paz quando fala comigo.
Da certeza das nossas ações
Da segurança que podemos ter tudo
De sermos tudo que sonhamos um para outro.

Do seu cheiro ao sair do banho
Do toque da pele molhada
Da sensação de sermos um só
Num mar de emoções que só a nós pertence.

Sentir você perto mesmo quando não estamos juntos.
Ter você dentro de mim mesmo não estando aqui.
O tempo para nós não existe
Porque nós somos o tempo e ele somos nós.

Do seu amor
Que tudo cria, que tudo transforma em mim.
Me traz paz, me enche de luz
Desse eterno amor. 
Que já veio escrito antes de nascermos, antes de existirmos.

Por que fomos criados uma para o outro.
Somos e seremos sempre um.
Duas almas divididas mas que se completam.
Por que és os amor da minha vida.
Hoje e para sempre!

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Retalhos - Uma comédia nordestina!



Hoje, sexta, 29, é o último dia para assistir ao espetáculo Retalhos, do grupo A Tribo, versão 2013, dirigida por Anderson Andhy e que está dentro da programação da Primavera Cultural
do Instituto Macuco-Jequitibá. O espetáculo acontece na Casa Jonas&Pilar, às 20 horas. As apresentações têm sido concorridas desde a quinta-feira da última semana. Devido a grande
demanda de público na semana passada, o grupo resolver fazer duas sessões extras na terça-feira, 26, destinada aos estudantes da rede pública do Estado e do município.
São duas histórias interligadas pela ação de dois narradores. Originalmente, este espetáculo foi encenado em 2003, a partir da adaptação de Torturas de um Coração, de Ariano Suassuna, o outro texto, escrito por Valmir Mendes, foi inspirado na música Xote das Meninas, de Luiz Gonzaga, que ganhou o título de Florzinha de Mandacaru. Na opinião de Anderson Andhy, diretor da versão atual, "este é um espetáculo sobre o povo brasileiro, rico de memórias e farto de alegrias". 




Estão no elenco Cleide Jardim, Cristiano Nunes, Diego Gonzaga, George Mendes, Jenyffer Santana, Laise Oliveira e Leomar Vieira. Ingresso a R$ 2,00.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Desconexo


Corro quando preciso parar.
Estaciono quando preciso movimentar.
Subo quando preciso descer.
Me aquieto quando preciso voar.

Como quando preciso beber.
Durmo quando preciso acordar.
Seco quando preciso umedecer.
Sento quando preciso levantar.

Acordo quando preciso sonhar.
Saio quando preciso permanecer.
Sonho quando preciso realizar.
Desejo quando preciso conceber.

Parto quando preciso ficar.
Sinto quando preciso falar.
Dôo quando preciso ganhar.
Permaneço quando preciso caminhar.

Amo quando preciso entender.
Falo quando preciso calar.
Desejo quando preciso ter.
Acovardo quando preciso lutar.

Eu quando sou você.