quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

My Elements! parte 4

Antigamente, nós viviamos juntos com outros seres mágicos, elfos, dragóes, gargulas, ogros, muitos deles foram banidos para dimensoes diferentes outros tranformados em pedras. não podemos deixar que isso torne a acontecer.
De repente entra no salão às pressas um pequeno que havia se atrasado...
- Saiam da frene! Licença! deixe-me passar! ufa! Quase chego atrasado.
-Silencio.
O mestre volta a falar sobre a profecia,

My Elements! parte 3

A Profecia.


Quando todos enfim chegaram ao grande salão o mestre pediu silêncio e começou a explicar aquele fenomeno tão intrigante para todos nós:

- Meus irmãos! é chegada a hora em que a profecia se realiza. Vou lhes contar um grande segredo que somente os garndes mestres dos quatro reinos poderiam saber e que esperava a hora certa para contar ao nosso povo.

Começou a ouvir um murmurio entre todos. de qual profecia os mestres estariam falando? por que so agora eles estão nos revelando?

- silencio!!! Escutem com atenção!! Como todos voces sabem nosso reino - o reino da neblina - sempre viveu escondido entre as neblinas e isso nos protegia dos gigantes esquecidos, o que tambem acontece com os outros tres reinos de nossos irmãos.

- A profecia!! conte-nos da profecia!! alguem gritou no meio do grande salão.



E então o mestre continuou:

- A muitos seculos todos nós viviamos em harmonia, todos os seres compartilhavam do planeta em comunhão com as forças da natureza, cuidando, produzindo, construindo e protegendo a Terra para que ela prosperasse e fosse um lugar de paz entre os povos. Os seres magicos conviviam com os gigantes esquecidos em harmonia uns ajudando aos outros.

- Impossivel, eles são cruéis, não pode ser verdade!! gritou um pequeno jovem que começava a não acreditar naquela historia!

- Eles não acreditam em nossa existencia, nos tornaram seres invisiveis, como pode nos dzer que no passado era tudo diferente?!!

Sentindo que o salão começava a criar um clima de desordem o quinto mestre se levantou e começou a revelar a grande profecia que iria mexer com a vida de todos os pequenos seres ali presente!

- Silencio!! escutem com a atenção! No passado quando tudo era um só oraganismo, os homens como assim são chamados, viviam em harmonia conosco mas um homem ambicioso nos enganou e tomou nosso poder, apos lutarmos fomos banidos para os quatro reinos onde permanecemos escondidos até que ele fosse ressucitado e para que ele seja outra vez derrotado é necessario que um de nós se una a aqueles que um dia nos abandonou para que se reestabeleça novamente a harmonia.

Fez-se um silencio imediato. Ninguem acreditava naquela historia. Como seria possivel um ser da neblina unido a um homem?? Não, não pode ser verdade o que esta acontecendo!! Todos se questionavam. Quem poderia ser esse escolhido??

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

My Elements! parte 2

O Reino da Neblina

Aquele dia amanheceu diferente, tudo parecia brilhar. O meu povo acostumado a viver escondido entre as fortes neblina do reino se surpreenderam ao ver pela primeira vez o brilho do sol. Algo muito sério está acontecendo. o mestre da nossa aldeia toca a sirene para que todos se reunam no salão do grande castelo. Todos se perguntam o que esta a acontecer!! onde foi parar nossa neblina que nos protege. Um pequeno clima de desordem começa a surgir, quando toca mais uma vez a sirene. Temos que ter pressa para saber o que esta acontecendo.

Ao chegar no grande salão, os cinco anciãos já estão reunidos a nossa espera!

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

My Elements!

Num reino distante, onde prosperavam a alegria entre os povos quatro pequenos seres são escolhidos para lutarem contra um grande mal que ameaça a felicidade de seus reinos. Vivendo grandes aventuras, passando por varios testes eles se tornarão mas fortes e entenderão o quanto a coletividade é importante para a prosperidade de suas terras!

ACOMPANHEM ESSA HISTORIA E FAÇA PARTE DANDO SUA OPINIÃO.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Chacras



A palavra chacra, do sânscrito, significa roda e evoca o caráter dinâmico desses centros magnéticos, que, segundo o hinduísmo, captam, armazenam e distribuem a energia. Relacionados a órgãos e glândulas, eles têm importância decisiva para a nossa vida mental e espiritual, influenciam nossas emoções e são influenciados por elas.Atuam,então,diretamente sobre a nossa disposição e alegria de viver. Os sete principais estão localizados entre a base da coluna e o topo da cabeça, em áreas de confluência de mais de 70 mil nadis - rios de energia (comparáveis aos meridianos da medicina chinesa). Quando seu fluxo é bloqueado, surgem as doenças. "Aí, não apenas a saúde física fica comprometida como também todo o nosso desenvolvimento, pois na tradição indiana, berço desse conhecimento, matéria e espírito são inseparáveis",explica Márua Roseni Pacce,fundadora do Núcleo de Yoga Ganesha,em São Paulo.E o que pode bloquear os chacras? "A má qualidade do ar ou da alimentação,o sedentarismo e os tumultos internos são verdadeiros ladrões de energia",ensina Mercedes Requena,terapeuta e professora do Ganesha. Os mestres hindus receitam ioga e meditação contra o desequilíbrio, mas é possível ativar os chacras com atividades físicas, atitudes adequadas no dia-adia e terapias específicas, que envolvem mantras (cânticos devocionais) ou mentalização de cores. Especialista em medicina ayurvédica e cultura indiana, César Deveza diz que esses pontos são como maestros da sofisticada orquestra que rege a nossa energia. O assunto é complexo e ele alerta sobre o risco das simplificações. Não faz sentido, por exemplo, achar que problemas cardíacos podem ser resolvidos apenas com meditações que ativam o chacra dessa região. Para nos abastecer, os chacras captam a força vital (prana) e espiritual (kundalini). Na verdade, trata-se da mesma energia, que se manifesta de modos diferentes e é obtida por meio do ar, luz solar, água, alimentação e pelo desenvolvimento da consciência. Os pranayamas, exercícios respiratórios da ioga, purificam nossos canais, favorecem a absorção dos nutrientes e o despertar da kundalini. Segundo a tradição tântrica, essa força mora dentro de nós, mas em estado latente."Adormecida no primeiro chacra, ela deve ser conduzida até o sétimo, integrando as polaridades feminina e masculina, representadas respectivamente pela deusa Shakti, considerada a mãe de todas as formas, e o deus Shiva, portador da consciência plena", diz Márua. Mas ela acredita que ainda estamos longe disso. "Poderemos dar um salto quando conseguirmos desenvolver o chacra cardíaco, aprendendo mais sobre o amor incondicional."A seguir, apresentamos as características de cada chacra, de acordo com O LIVRO BÁSICO DOS CHACRAS (ED. PENSAMENTO), de Naomi Ozaniec, e TERAPIA DO AMOR (ED. SEMENTE), de Rahasya Fritjof Kraft. Para facilitar, na ilustração que abre a matéria localizamos os chacras na região frontal, mas lembre-se: eles também operam nas partes posteriores.




Os Chacras Principais Os chacras principais são sete e vibram na frequência das sete cores do arco-íris. O primeiro chacra (raiz) irradia para baixo, na vertical, e o sétimo chacra (coroa) irradia para cima, também na vertical. Do segundo ao sexto, os chacras apresentam vórtices que irradiam na horizontal, com um vórtice à frente e outro atrás do corpo.

Ponto por ponto

Os chacras, são os nossos pontos vitais de energia. O número de chacras são 7, e dividem-se da seguinte forma:

1 – Chacra coronário
Situado na parte superior da cabeça.
Cor; Lilás
Elemento; Pensamento
Abrange; Inteligência, entendimento e sabedoria
2 – Chacra frontal
Situado no centro da testa ( meio dos olhos )
Cor; Azul-escuro
Elemento; Luz
Abrange; Imaginação e intuição
3 – Chacra da laringe
Situado na garganta
Cor; Azul celeste
Elemento; Som
Abrange; Comunicação e relacionamento
4 – Chacra cardíaco
Situado no meio do peito
Cor; Verde
Elemento; Ar
Abrange; Amor e sentimentos
5 – Chacra plexo solar
Situado no estômago
Cor; Amarelo
Elemento; Fogo
Abrange; Auto confiança, vitalidade e energia
6 – Chacra sacro
Situado no umbigo
Cor; Laranja
Elemento; Água
Abrange; Sexualidade e emoções
7 – Chacra básico
Situado à altura das partes genitais
Cor; Vermelho
Elemento; Terra
Abrange; Alimentação, equilíbrio, saúde e finanças

Podem solucionar grande parte dos problemas comuns no ser humano

Chacra coronário; Falta de capacidade de concentração
Como equilibrar; Através da meditação, utilizando roupas com cor lilás ( ou objectos ).
Recebendo luz. Por exemplo, ver o Sol nascer

Chacra frontal; Sentido prático mas sem intuição
Como equilibrar; Usando e utilizando cores azuis fortes. Pedra aconselhável, lápis lazúli.

Chacra da laringe; Dificuldade de comunicação, timidez, fraqueza e dificuldade no canto.
Como equilibrar; Ouvindo muita musica, recebendo luz solar.
Use roupas em que predomine o azul celeste. Cantar, também é recomendado

Chacra cardíaco; Problemas de amor e ordem sentimental.
Como equilibrar; Uma alimentação rica em verdes, roupas com verde, colocar muitas plantas dentro da sua casa e no local de trabalho (se possível).

Chacra plexo solar; Cansaço muito frequente.
Como equilibrar; Usar roupas com a cor amarela, acender velas brancas e amarelas, sempre em número impar. Por exemplo, 1-3-5-7, etc...

Chacra sacro ; Problemas de ordem sexual.
Como equilibrar; A água é um elemento de grande importância. Nade, faça banhos de imersão prolongados. A utilização da cor laranja é benéfica.

Chacra básico; Má gestão financeira, vida sem nenhuma organização.
Como equilibrar; Utilize a cor vermelha, quer em roupas, quer em objectos. Esteja sempre em contacto com o elemento terra

Nota; Estes são princípios básicos que poderão equilibrar os seus chacras e melhorar a sua qualidade de vida. Em futuras actualizações terá mais informação.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

A Saúde do Corpo Está ligada à da alma


DE: GERSON SIMÕES MONTEIRO
DIA: 03/04/2005

SENTIMENTOS RUINS GERAM LESÕES


Quando uma pessoa comete uma falta grave contra o próximo, certamente ela acaba
perturbada, em virtude das forças desequilibradas geradas pelo seu arrependimento e, por
receber, também, as vibrações de ódio ou ressentimento da outra pessoa prejudicada. Em
razão disso, os centros da alma entram em desarmonia, ocasionando repercussões negativas
sobre o corpo físico. Esse descontrole causado pelo mal praticado provoca lesões no
funcionamento de diversos órgãos, como coração, pulmões, fígado, etc.
Sentimentos como cólera, desespero, crueldade e intemperança criam zonas
enfermiças no organismo, as quais anulam quase todos os recursos de defesa imunológica da
pessoa, possibilitando o aparecimento de micróbios em órgãos de menor resistência. Sobre
esse assunto, diz Emmanuel, no livro Pensamento e Vida, psicografado por Chico Xavier, que
em muitas vezes a tuberculose e o câncer, a lepra e a ulceração aparecem como fenômenos
secundários; a causa principal da doença está na alma enferma, uma vez que todos os
sintomas mentais, depressivos ou desequilibrados, influenciam as células do corpo carnal.
Emmanuel diz ainda que nossas emoções doentias, como ciúme, irritação, impaciência
e ódio, geram enfermidades. Esses sentimentos negativos, depois de convertidos em ondas
mentais, voltam-se sobre nós mesmos tumultuando o serviço das células nervosas. Diante
disso, conclui: “Não nos esqueçamos, assim, de que apenas o sentimento reto pode esboçar o
reto pensamento, sem o qual a alma adoece pela carência de equilíbrio interior, imprimindo
no aparelho físico os desvarios e as perturbações que lhe são conseqüentes”.
Vale lembrar que a alma após a morte continua impregnada de energias negativas no
corpo fluídico que a envolve, chamado de perispírito, se quando encarnada foi viciada ou
praticou o mal contra o próximo. Ao reencarnar, essa alma passará para o seu novo corpo seus
defeitos morais. Ou seja: o bebê nasce doente, sofrendo de uma enfermidade congênita,
confirmando o que disse Jesus: “a cada um será dado segundo suas obras". E convenhamos:
se Deus é bom, porque então uma criança nasceria cega, se ela não pecou nesta vida?
Fonte:

Gerson Simões Monteiro
é Presidente da Fundação Cristã-Espírita
C. Paulo de Tarso
e-mail: gerson@radioriodejaneiro.am.br

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

E ela se chamava maldade.
Sempre acompanhada de seus comparsas: a Desconfiança e a Indiferença.
Saíam pelo mundo em busca daqueles que não tinham força de vontade.
Quando os encontrava, manipulava-os dexando-os sobre seu controle.
Mostrando sua superioridade, começava a pisar sobre as pessoas que estavam perto.
Fico a pensar se realmente era fruto de manipulação ou se no fundo ja possuia tal sentimento.
Se havia me deixado levar por uma força esterna que me consumia e me tornava frio e desprezivel.
Hoje, ao passar dos anos, ainda não me livrei de alguns sentimentos, tenho vontade de retornar a me sentir superior, não um serzinho humano, igual a todos. Já fui rei, mas não tinha um reino.
Um reino não se constrói com escravos. Mas sinto saudades de ser forte, destemido temido por todos.
Talvez Ela - a Maldade - tenha se conectado a mim por que em alguma parte de mim eu já possuia esse sentimento.
Hoje ao passar tantos anos, devo retornar a início. Ir ao encontro daqueles que um dia ja foram parte de mim, da minha vida, e que por via do destino nos separamos.
Talvez não seja recebida com tanto louvor, mas o tempo é outro e na guerra, sempre precisamos aliar-se àqueles que lutam do mesmo lado.
E que os deuses estejam ao meu lado nessa batalha.

Trecho de um pensamento particular, de uma obra que ainda nascerá.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Aprendi com um amigo que somos maior do que pensamos ser, que podemos sempre fazer mais que acreditamos ser capazes de fazer.
VIVA AS CONSPIRAÇÕES DO UNIVERSO.