quinta-feira, 7 de julho de 2011

Conclamo a ti, oh Ninfas

Conclamo a ti, oh ninfas.
Traga-me a fluidez da água.
Para que assim me adapte e me transforme.
Quero caminhar por sobre as águas,
Quero ter a força das tsunames,
Quero a leveza das marés.
Conclamo a ti, oh ninfas.
Deusas sereias de belos encantos.
Traga-ma a doçura dos rios em meios às matas
O suave perfume do mar ao amanhecer.
Conclamo a ti, oh ninfas
Trasmute meu ser em noites de lua cheia
Como o resplendor da luz da lua fulgaz em sua superficie aquática.
Sou um ser fluídico agora.
Adapto, reformulo, recrio tudo a minha volta.
Sou um ser enigmático como o horizonte ao mar.
Nele me encontro e me perco,
Para sozinho tornar-me evoluir.

2 comentários:

Claudio Poeta disse...

Bela criação, Cristiano! - Parabéns - Abração

Janaína Garcia disse...

lindooo